Universidade do Porto debate “Cuidados continuados e paliativos em Hemato-Oncologia”

A Associação de Apoio aos Doentes com Leucemia e Linfoma (ADL) promove, na próxima terça-feira, 19 de Julho, pelas 14h00, na aula Magna da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, uma Mesa Redonda subordinada ao tema “Cuidados Continuados e Paliativos em Hemato-Oncologia”. 
Maria de Fátima Ferreira, Hematologista do H. S. João-Porto e presidente da ADL, e o Padre Nuno, capelão do H. S. João, terão a seu cargo a introdução da temática dos cuidados paliativos, à qual se seguirá a intervenção de Isabel Galriça Neto, fundadora da Rede Nacional de Cuidados Paliativos e Presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, sobre “A realidade dos cuidados paliativos em Portugal”. 
A enfermeira Catarina Simões do IPO – Porto irá transmitir a sua experiência na comunicação “Cuidados de enfermagem nos doentes hemato-oncológicos em cuidados continuados e paliativos” e, na sequência, falará Conceição Pires, médica do serviço de cuidados paliativos do H. S. João, sobre o trabalho desenvolvido nesta área.
Os doentes hemato-oncológicos (com tumores do sangue: leucemias, linfomas, mielomas, etc.) têm actualmente um novo desafio a enfrentar: sobreviver com qualidade de vida. Hoje, a grande maioria daqueles que têm leucemia ou linfoma ultrapassa a fase aguda da doença e, se não consegue curar o problema, pelo menos permite que a situação evolua para a cronicidade. Neste sentido, necessitam de cuidados continuados para terem qualidade de vida, realizem as suas actividades diárias e terem acesso à assistência médica e de enfermagem. 
No que se refere aos cuidados paliativos, o doente terminal tem direito à atenção dos profissionais de saúde e a um fim de vida com qualidade. Nesse sentido, surge a Medicina Paliativa que se destina a tratar, cuidar e apoiar activamente os doentes (e família) na fase final da vida.
Os cuidados paliativos têm como componentes essenciais o alívio dos sintomas, o apoio psicológico, espiritual e emocional do doente, bem como o apoio à família e o apoio durante o luto, o que implica o envolvimento de uma equipa interdisciplinar.
O evento conta ainda com os testemunhos de familiares de doentes terminais e a experiência de um doente jovem. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Newsletter