Universidade de Turim cria aplicação de nanotecnologia para tratar cancros mais agressivos

Um tratamento de nanopartículas que combina ondas de choque mostrou-se eficaz no tratamento de tumores difíceis que já haviam sido tratados com quimioterapia convencional.
Os investigadores testaram a aplicação em ratinhos modificados com cancro da tiroide anaplásico, um cancro difícil de tratar, que não tem terapia padrão e cuja quimioterapia aprovada é benéfica em apenas 22% dos casos, mas os cientistas admitem que o tratamento pode vir a ser usado em vários tipos de cancros mais agressivos.
Devido à interrupção do fluxo de sangue do tumor, muitas vezes as nanopartículas que transportam os fármacos não os chegam a libertar diretamente no tumor, o que compromete o tratamento; para ultrapassar esta dificuldade, os investigadores combinaram o tratamento Extracorporal Shock Waves (ESW) com nanobubbles (NBS), o que ajudou a focalizar os efeitos dos fármacos. 
Num artigo publicado na revista Endocrine, os especialistas explicam que o tratamento feito aos ratinhos diminuiu significativamente o volume e o peso do tumor. Essas medições foram feitas logo após o tratamento, tendo-se verificado uma redução drástica na 11.ª semana.
Realizado pela Universidade de Turim, em Itália, este estudo, cuja próxima fase irá passar pela realização de testes clínicos, pode vir a desenvolver novas terapêuticas de combate a vários tipos de cancro.
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter