Uma luta contra o tempo: a história da pequena Isla

O Natal da família Caton está a ser um dos piores de sempre, uma vez que a família recebeu a notícia de que a sua filha, Isla, de apenas 7 anos, poderá não sobreviver a uma forma rara e agressiva de cancro.

Isla foi diagnosticada com neuroblastoma de alto risco, uma doença que afeta cerca de 100 crianças por ano, quando tinha apenas 2 anos de idade. Desde aí, a menina foi sujeita a vários tratamentos, desde quimioterapia a cirurgias.

Os seus pais, Nikki e Michael, iniciaram uma campanha de angariação de fundos e venderam a sua casa e os seus pertences de forma a custear o tratamento.

“Queremos dar à Isla tudo aquilo que ela precisa. Não queremos que lhe falte nada”.

Natural do Reino Unido, Isla tem sido “uma verdadeira lutadora, que sorri sempre, mesmo nos piores momentos”. Já em 2018, a família tinha sido informada de que a criança poderia não ter mais do que 3 meses de vida. Desesperados, os Caton organizaram uma campanha de angariação de fundos, e encontraram um tratamento que salvou a vida da sua filha.

Nikki e Michael venderam todos os seus bens para conseguir levar Isla até Barcelona, onde a jovem recebeu um inovador tratamento.

“Foram mais de 2 anos em Espanha. Foi muito complicado, porque não tínhamos muitas posses, mas sabíamos que só em Espanha a minha filha teria alguma hipótese de se curar. Depois, pouco antes da pandemia começar, regressámos ao Reino Unido”.

Desde então, a família tem dado tudo de si para dar a Isla a melhor vida possível- tendo, inclusivamente, vendido a sua casa para que nada falte à menina.

Mas, infelizmente, Nikki e Michael foram informados de que Isla poderá ter apenas algumas semanas de vida.

Isla foi diagnosticada quando tinha apenas 2 anos. – Fonte: DR

Num vídeo partilhado no Facebook, Nikki revelou a todos aqueles que têm seguido a história desta família que este poderá ser o último Natal de Isla.

“A minha filha fez uma ressonância magnética e os médicos deram-me a pior notícia que uma mãe (ou um pai) pode receber – o cancro continua a metastizar, o que significa que a quimioterapia não está a funcionar”.

“Disseram-me que a medula óssea da Isla está num ponto de rutura e que os tratamentos têm de parar. Que não há nada a fazer. A minha filha pode não sobreviver até ao Natal… e isso é algo pelo qual nenhum pai deveria passar.”

“Se o meu amor a pudesse salvar, a Isla viveria para sempre, porque ela é tudo o que eu tenho. Mas a vida é injusta. Eu só não quero que a minha menina sofra ainda mais do que aquilo que já sofreu. Enquanto ela estiver connosco, lutarei por ela todos os dias e vou dar-lhe o melhor de mim”.

Nikki e Michael querem garantir que todos os dias sejam Natal para a sua filha.

“Vamos antecipar o Natal uma semana. Celebrar com a família aquele que pode ser o último Natal da minha guerreira”, diz a mãe, em lágrimas.

“Mas a esperança é a última a morrer”.

Fonte:  Wales Online

Este artigo foi úlil para si?
SimNão
Comments are closed.
Newsletter