Terapia com radiofármaco revela-se promissora contra rabdomiossarcoma

A Evgen Pharma, com sede no Reino Unido, revelou que o seu radiofármaco SFX-01, desenvolvido em parceria com a Universidade Sapienza de Roma, em Itália, tem revelado eficácia no tratamento do rabdomiossarcoma (RMS), um tipo de sarcoma das partes moles que ocorre em idade pediátrica.

Em testes realizados in vivo, o radiofármaco SFX-01 mostrou ajudar na destruição do tumor. Esse composto atua para promover a radiossensibilização, que torna as células tumorais mais sensíveis à radioterapia, aumentando a sua eficácia.

Os dados do estudo – apresentados no ESMO Sarcoma and Rare Cancers Congress no início deste ano – demonstraram que o SFX-01 foi eficaz na redução do crescimento de células tumorais de RMS in vitro, quando usado de forma independente e em combinação com radioterapia, onde se descobriu ser sinérgico.

A eficácia foi também agora comprovada in vivo, num modelo de xenoenxerto de ratinhos com RMS. Por outro lado, o impacto do SFX-01 administrado por via oral no crescimento de células tumorais de RMS derivadas de pacientes in vivo também foi analisado.

Os resultados mostraram que a terapia foi eficaz na diminuição do crescimento de massas tumorais quando administrada como agente único diariamente. Também foi administrado em combinação com um regime de radioterapia, onde demonstrou agir sinergicamente e ser ainda mais eficaz.

O investigador principal do estudo, Francesco Marampon, da Universidade Sapienza, mostrou-se animado com os resultados: “infelizmente, no caso dos sarcomas, particularmente no que se refere ao RMS, dados animadores raramente são obtidos in vivo e é precisamente por esse motivo que estou muito animado por observar esse resultado”.

Helen Kuhlman, diretora de negócios da Evgen, acrescentou: “a colaboração com o grupo do professor Marampon continua a gerar dados muito encorajadores sobre o SFX-01 como um agente de radiossensibilização – demonstrando as possibilidades do SFX-01 onde quer que a radioterapia seja usada como tratamento padrão”.

O nosso estudo “mostrou que o SFX-01 é seguro e bem tolerado, portanto, o seu potencial para aumentar os efeitos da radioterapia sem causar sobrecarga terapêutica adicional aos pacientes é altamente empolgante”, concluiu Helen Kuhlman.

Fonte: Pharmatimes

Este artigo foi úlil para si?
SimNão
Comments are closed.
Newsletter