Se a preservação da fertilidade em adultos sob indicação médica é já considerada um rotina, o mesmo não pode ser dito sobre a aplicação dessas mesmas técnicas em pacientes jovens diagnosticados com cancro infantil. O fator diferencial não é apenas o desenvolvimento e a prova 
Ler mais
Newsletter