Um rastreio precoce para cancro da mama pode reduzir a mortalidade derivada desta doença em mulheres sobreviventes de cancro infantil que não foram submetidas a radioterapia torácica, de acordo com uma investigação publicada no Journal of the National Cancer Institute. Segundo os investigadores, iniciar um 
Ler mais
Cientistas do Hospital for Sick Children (SickKids) e do Montreal Children’s Hospital, ambos no Canadá, sugerem que uma ferramenta de rastreio usada para identificar a predisposição genética ao cancro também pode ajudar a prever quais os sobreviventes de cancro infantil em maior risco de desenvolver 
Ler mais
Cientistas do Instituto Wellcome Sanger e da Universidade de Cambridge, ambos no Reino Unido, descobriram que, em algumas crianças diagnosticadas com neuroblastoma – um tipo de cancro que se desenvolve em células nervosas imaturas – o tratamento com quimioterapia de platina causou mudanças no genoma 
Ler mais
Cientistas do St. Jude Children’s Research Hospital, nos Estados Unidos, estão a estudar o efeito combinado de tratamentos contra o cancro e mutações herdadas nos genes de reparo do ADN. Os resultados desta investigação, publicada no Journal of Clinical Oncology, podem ajudar a prever quais 
Ler mais
Um estudo realizado na Austrália mostrou que, apesar dos progressos nos tratamentos, as crianças que desenvolvem cancro têm 5 vezes mais probabilidade de desenvolverem um segundo cancro do que a população em geral. Os autores da pesquisa, publicada no Medical Journal of Australia, afirmaram que 
Ler mais
Um estudo canadiano sugere que os sobreviventes de cancro infantil têm maior probabilidade de desenvolver um cancro secundário. Ainda que seja considerado raro, o cancro infantil é a segunda maior causa de morte entre crianças canadianas, ultrapassado apenas por mortes relacionada a lesões. Em média, 
Ler mais
A quimioterapia e a radioterapia são os tratamentos mais utilizados em casos de cancro infantil; graças a estas terapias, a maioria das crianças diagnosticadas com a doença conseguem sobreviver. Ainda assim, o risco de estes sobreviventes desenvolverem um cancro secundário continua, em alguns casos, a 
Ler mais
De acordo com novas investigações, o tratamento oncológico pode aumentar o risco de sobreviventes de cancro infantil desenvolverem neoplasias malignas mais tarde na vida. Apesar de esta ser uma informação já conhecida, os novos estudos destacam o quão significativo é o problema, num alerta para 
Ler mais