Sobreviventes de cancro durante a infância têm maior risco de hipertensão

A hipertensão é um dos efeitos secundários tardios que afecta os sobreviventes de cancro pediátrico. A conclusão surge de uma análise de estudos já realizados que mostra que as pessoas que sobrevivem a um cancro na infância têm risco acrescido de virem a sofrer do problema.

Uma pesquisa do Hospital de Oncologia Pediátrica, em Vancouver, no Canadá, concluiu que a hipertensão surge entre o grupo de efeitos secundários tardios que mais acometem os sobreviventes de cancro pediátrico, depois de avaliar dados clínicos de sobreviventes diagnosticados com cancro e tratados com quimioterapia quando tinham entre 5 e 10 anos.

A avaliação identificou uma prevalência de 17% de casos de hipertensão não diagnosticados em sobreviventes de cancro pediátrico que não tinham excesso de peso, independentemente da idade em que foi feito o diagnóstico.

De acordo com os autores da pesquisa, os resultados obtidos sugerem a necessidade de um acompanhamento mais focado numa avaliação do risco de hipertensão neste grupo de doentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Newsletter