Sobrevivente faz biscoitos para ajudar famílias afetadas pelo cancro

Kinsley Peacock, uma menina de 5 anos que lutou contra uma forma agressiva de cancro ocular, está a trabalhar arduamente para aumentar a consciencialização sobre o cancro infantil.

A criança tinha apenas 4 anos quando os seus pais repararam numa mancha vermelha em torno do seu olho direito; alarmados, os progenitores levaram Kinsley ao seu médico pediatra.

Segundo Kim, a mãe de Kinsley, o pediatra desvalorizou a situação. Não conformados, os pais de Kinsley consultaram um oftalmologista para uma segunda opinião. O profissional verificou que a criança tinha uma retina separada, uma condição que podia ter sido causada por trauma ou por algo pior, como um tumor.

A criança foi encaminhada para um oftalmologista pediátrico que confirmou que Kinsley tinha uma retina separada; contudo, não viu sinais do tumor.

“’Tenho 99% de certezas de que não existe um tumor’, foram estas as suas palavras. Ficámos tão aliviados.”, recorda Kim.

Mas a vermelhidão no olho de Kinsley teimava em não passar, e alguns dias depois, a família Peacock viajou até Miami para se encontrar com outro especialista. Mas o que este médico disse marcou, para sempre, a vida desta família.

“Foi provavelmente o pior dia da nossa vida”, conta Kim.

Kinsley foi diagnosticada com retinoblastoma, um cancro ocular extremamente raro e agressivo.

Kinsley e a sua boneca preferida. – Fonte: DR

O tratamento foi doloroso. Depois de 6 seis sessões de quimioterapia, os médicos concluíram o olho direito de Kinsley precisava de ser removido.

Depois da cirurgia, a jovem regressou a casa, de onde não podia sair, pois o seu sistema imunitário estava comprometido. Fatigada, a menina pediu à mãe para que esta a ensinasse a fazer biscoitos.

E foi assim que nasceu a “Kinsley’s Cookie Cart”, uma organização sem fins lucrativos que pretende angariar fundos para ajudar crianças com cancro.

“Começámos por falar com os nossos vizinhos, explicámos no que consistia este projeto, e as encomendas começaram a aparecer. Depois, o meu marido construiu um carrinho pequeno, que é onde transportamos os biscoitos”, conta Kim.

“Agora, a Kinsley adora ir entregar os biscoitos aos nossos clientes. Fica tão contente quando vai a puxar o carrinho pela rua fora.”.

No mês passado, a organização angariou mais de 25 mil euros (cerca de 22 mil euros).

Mas a história fica ainda melhor: há 2 meses atrás, Kinsley terminou os seus tratamentos e entrou em remissão.

A menina entrou em remissão. – Fonte: DR

“As crianças são muito resistentes, muito mais fortes do que nós. A minha filha é uma guerreira.”

Fonte: ABC

Comments are closed.
Newsletter