Sadie, a sobrevivente que se dedica a ajudar crianças com cancro

De acordo com a American Cancer Society, este ano, só nos Estados Unidos, mais de 11 mil crianças e adolescentes com menos de 15 anos serão diagnosticadas com cancro.

Uma vez que nos encontramos numa época de Setembro Dourado, o mês internacional de consciencialização para o cancro infantil, hoje damos-lhe a conhecer a história de Sadie Keller, uma sobrevivente de cancro infantil.

“Eu sei o que é passar pelo cancro. Sei como isso é difícil”, começa por explicar a jovem, referindo que, todos os anos, em setembro, espera que “as vozes de todas as crianças com cancro sejam ouvidas”.

Hoje, Sadie é uma jovem de 13 anos que sobreviveu a um diagnóstico de cancro feito quando tinha apenas 7 anos.

Em remissão, esta sobrevivente dedica-se a tentar ajudar outras crianças que, tal como ela, foram diagnosticadas com cancro infantil.

“Fui tratada com quimioterapia que já existe há muitos anos. Infelizmente, não têm havido grandes progressos ao nível das terapias para o cancro infantil. E isso afetou-me muito, uma vez que esta quimioterapia, em particular, prejudicou a minha saúde cardiovascular e a minha saúde óssea”.

A improvável amizade com Michael McCaul. – Fonte: DR

A luta de Sadie por melhores condições de tratamento para crianças com cancro fez com que esta jovem conhecesse o congressista Michael McCaul, responsável pela criação do Childhood Cancer Caucus, que levou ao desenvolvimento do STAR Act, um novo projeto de lei que promove a pesquisa e o tratamento do cancro infantil.

“Quando o STAR Act recebeu a aprovação do Presidente Trump, eu tive a honra de ser convidada para a Casa Branca”.

“Foi graças ao apoio da Sadie que conseguimos juntar um verdadeiro ‘exército’ de sobreviventes de cancro. Todos juntos, fomos capazes de aprovar uma legislação que irá salvar a vida de muitas crianças”, explicou, orgulhoso, Michael McCaul.

Mas a parceria entre este duo improvável não se ficou por aqui; juntos, Sadie e Michael escreveram um livro cujos lucros serão entregues a instituições que apoiam famílias afetadas pelo cancro infantil.

O esforço de Sadie levou à aprovação do Star Act. – Fonte: DR

“O nosso objetivo agora é o de fazer chegar este livro a todas as crianças que estão a ser sujeitas a tratamentos oncológicos nos Estados Unidos”, afirma a sobrevivente que garante não desistir até que existam “tratamentos que não causem efeitos secundários”.

Fonte: ABC

Este artigo foi úlil para si?
SimNão
Comments are closed.
Newsletter