Rachel, a sobrevivente que quer ajudar outras crianças

Sobrevivente de cancro infantil, professora e agora humorista.

Este é o currículo de Rachel Edwards, uma mulher que fez da sua missão de vida olhar sempre para o lado positivo, apesar de estar “constantemente com dores”.

Rachel foi diagnosticada com cancro quando tinha apenas 4 meses de idade; na altura, os seus pais foram informados de que a bebé poderia nunca aprender a andar, a ficar de pé ou até a sentar-se sozinha.

Mas esta lutadora, agora com 26 anos de idade, consegue fazer isso e muito mais; Rachel realizou o seu sonho de se tornar professora e, mais recentemente, inscreveu-se para participar num evento de angariação de fundos ligado à comédia para ajudar pessoas com cancro.

A determinação de Rachel foi reconhecida nos prémios Pride of Britain 2001, quando a jovem venceu o prémio Child of Courage, com apenas 7 anos de idade. Pouco tempo depois de receber o prémio, Rachel viu-se confinada a uma cadeira de rodas, mas, mesmo assim, a jovem manteve-se positiva.

Rachel no dia em que recebeu o prémio, ao lado do seu pai e de Tony Blair, na altura Primeiro-Ministro inglês. – Fonte: DR

E é essa positividade e humor que a sobrevivente espera transmitir nos seus espetáculos de stand-up comedy.

“Esta ‘brincadeira’ começou no ano passado. Achei que podia, com a minha experiência, fazer os outros rir. Mas, e depois de me inscrever, fiquei com tanto medo que acabei por não participar. Graças a Deus, consegui ultrapassar esse medo. Hoje arrependo-me de não ter participado, porque sinto-me mesmo feliz em palco”.

Um dos grandes objetivos de Rachel é conseguir ajudar pais de crianças com cancro que, tal como aconteceu com os dela, podem estar com dificuldades em lidar com um diagnóstico de cancro infantil.

“Eu era muito pequena na altura, uma bebé, e não tenho recordações, mas sei o quanto os meus pais sofreram, sei que foi muito difícil para eles. Por isso é que quero ajudar outros pais, quero fazê-los entender que não estão sozinhos nesta luta”.

Ao mesmo tempo que angaria dinheiro para a causa da oncologia pediátrica, Rachel também faz vários alertas sobre a necessidade de um maior investimento.

“Se houvesse mais dinheiro, haveria melhores diagnósticos, melhores tratamentos e mais apoios, o que facilitaria a vida de todos estes pais”.

“Os pais são fundamentais para uma criança com cancro. Eu não estaria onde estou hoje se não fossem os meus pais e os meus irmãos. Eles nunca deixaram de me apoiar”.

Para além de professora, Rachel também adora ser humorista. – Fonte: DR

Outro dos objetivos desta sobrevivente é falar abertamente sobre os problemas de saúde mental com que muitos doentes têm de lidar. Este é um assunto “muitas vezes negligenciado”, segundo a jovem.

“Embora eu tenha terminado o tratamento quando era criança, tive de aprender a lutar contra problemas de saúde mental ao longo dos anos. Acredito que os tratamentos e toda a experiência da minha luta contra o cancro tenham contribuído para estes problemas”.

Fonte: In Your Area

Comments are closed.
Newsletter