Portugueses querem mais investimento na área do cancro

A maioria dos portugueses defende mais investimentos na área do cancro, contudo metade não está disposta a descontar mais para esse efeito, segundo um estudo realizado pela GFK.
A pesquisa mostrou também que, se tivessem que contribuir mais para investimentos na área do cancro, a maior parte dos portugueses preferia que o dinheiro fosse para um “fundo pessoal” e não para ajudar outros. 
Os dados do inquérito mostraram que 84% dos portugueses defendem mais investimento na área oncológica e 74% consideram que as verbas para a oncologia são “insuficientes”.
Quando questionados sobre a possibilidade de descontarem mais para esta área da saúde, metade recusou, alegando que tem “pouco dinheiro disponível” (49%) ou que já desconta muito (41%). 
Apenas um terço admitiu descontar mais para o cancro, mas, destes, só 15% se mostraram “muito disponíveis” para descontos adicionais nesta área de tratamento.
Na eventualidade de terem mesmo que descontar um valor adicional para a oncologia, a maioria defendeu que esse dinheiro deve servir como uma espécie de fundo pessoal, para que o dinheiro seja aplicado no tratamento do próprio doente, na eventualidade de vir a sofrer com a doença.
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter