Piratinhas angariam dinheiro para o cancro infantil

A semana passada, na Escola Pública St Johns Park, na Austrália, os meninos e meninas trocaram os seus uniformes por tapa-olhos e bandanas.

Os alunos abraçaram um desafio e vestiram-se como verdadeiros piratas para apoiar a pesquisa sobre o cancro cerebral infantil, uma iniciativa que decorreu um pouco por todo o país.

Este ano, os fundos foram direcionados para o The Telethon Kids ‘Institute, liderado pelo oncologista pediátrico e cientista Nick Gottardo.

As crianças vestiram-se a rigor. – Fonte: DR

Esta iniciativa é uma colaboração entre o The Kids Cancer Project e a The Pirate Ship Foundation e visa angariar dinheiro e aumentar a consciencialização para a importância das pesquisas sobre o tratamento e cura do cancro cerebral infantil – uma doença que mata mais crianças na Austrália do que qualquer outra.

No seu quinto ano de existência, a iniciativa foi iniciada por Nathan Colgan, pai de Conor, um menino que foi diagnosticado com cancro aos 5 anos de idade.

“Descobri que em cada duas crianças diagnosticadas com um tumor no cérebro, uma perderá a sua vida. E as que sobrevivem têm efeitos secundários graves e duradouros. A única maneira de mudar isso é investir mais na pesquisa científica”, conta o organizador.

A iniciativa foi criada em 2015. – Fonte: DR

“Foi graças à pesquisa que o meu filho, agora com 9 anos, ainda está connosco hoje. Ele desafiou todas as probabilidades e está connosco! Ainda não está curado, mas sei que com o apoio de todos os australianos chegaremos à cura”.

Desde que teve início, a iniciativa angariou mais de 280 mil dólares (cerca 250 mil euros) para estudos científicos que tentem encontrar tratamentos mais eficazes para a doença.

Fonte: Fairfield Champion

Este artigo foi úlil para si?
SimNão
Comments are closed.
Newsletter