Pais lutam para que filho “volte a ter uma infância normal”

Os pais de um menino de 6 anos que foi diagnosticado com neuroblastoma estão determinados a fazer com que o seu “pequeno super-herói volte a ter uma infância normal”.

Desde que foi diagnosticado, Auryn Phelan já foi sujeito a 13 rondas de quimioterapia,14 sessões de radioterapia, duas cirurgias e um transplante de células estaminais.

Felizmente, o menino irlandês aproxima-se a passos largos do fim do seu tratamento, que recebeu no Crumlin Children’s Hospital, na Irlanda.

No entanto, o neuroblastoma é um tipo de cancro que tem uma grande probabilidade de recidiva; quando isto acontece, as taxas de sobrevivência são extremamente baixas, muito devido às poucas opções de tratamento existentes.

A pensar nisso, os pais de Auryn estão a organizar uma angariação de fundos, de forma a conseguirem ter acesso a um ensaio clínico nos Estados Unidos.

“Esta doença tornou o nosso filho numa criança triste. Ele nunca desistiu, mas os tratamentos mudaram-no… as dores que ele teve de aguentar eram excruciantes. O nosso único objetivo é devolver-lhe a infância, é garantir que o nosso pequeno super-herói volte a ter uma infância normal”.

“O Auryn só quer voltar a ser uma criança e poder fazer o que todas as crianças fazem”, diz, emocionada, a sua mãe, Trisha, que não consegue esquecer o “horrível processo que foi o tratamento”.

A progenitora afirma que a jornada contra o cancro teve um grande impacto “em toda a família, mas em especial no bem-estar físico e mental do Auryn”.

Foi também durante os tratamentos, que a Irlanda (e o resto do mundo) foi forçada a entrar em confinamento, devido à COVID-19; “foi mais um duro golpe para nós”, afirmou Trisha.

“Os cuidados agora são ainda maiores. Para além do sistema imunitário comprometido, o Auryn também corre um risco constante de infeção, pelo que fomos obrigados a mantê-lo dentro de casa, fora da escola e longe de outras crianças. A segurança dele é a nossa prioridade”.

Até janeiro de 2021, Trisha e o seu marido, Barry, estão comprometidos a angariar 375 mil euros para poderem matricular Auryn num ensaio clínico que terá lugar no Slone Kettering Memorial Hospital, nos Estados Unidos; em menos de um mês, esta família já conseguiu angariar mais de 60 mil euros.

“Este ensaio está a teve resultados muito promissores na primeira fase, por isso, vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que o Auryn possa receber este tratamento”.

Fonte: Independent

Comments are closed.