Novo tratamento com células CAR-T para a leucemia linfoblástica aguda recidivante está a ser desenvolvido

A ViroCell Biologics, uma empresa que trabalha com vetores virais para ensaios clínicos de terapia celular e genética, com sede em Londres, fez uma parceria com a University College London (UCL), no Reino Unido, para avançar com um tratamento desenvolvimento por esta instituição de ensino contra a leucemia linfoblástica aguda recidivante (LLA).

O tratamento, inicialmente desenvolvido pelo Professor Persis Amrolia da UCL, é uma terapia com células T do recetor de antigénio quimérico (células CAR-T) para LLA.

A LLA é o cancro mais comum na infância e embora 85% dos pacientes possam ser curados com quimioterapia convencional e transplante de células estaminais, a LLA recidivante continua a ser uma das principais causas de morte por cancro em crianças.

Apesar de as células CAR-T geneticamente modificadas direcionadas para o alvo CD19 terem mostrado resultados promissores contra a LLA recidivante e refratária, 50% dos pacientes que responderam bem ao tratamento terão uma recaída devido à evolução da doença CD19 negativa ou à perda precoce de células CAR-T.

Portanto, apenas cerca de 40% dos pacientes são curados pelas terapias com células CAR-T atualmente licenciadas.

Para enfrentar estes desafios, o Professor e investigador Persis Amrolia desenvolveu uma nova solução que preservará a memória das células estaminais nas células T, o que se espera que resulte numa resposta ao tratamento mais persistente e na prevenção de recaídas.

“Estou entusiasmado por trabalhar com a ViroCell para fornecer o vetor lentiviral para o nosso programa de LLA recidivante. A grande experiência da equipa, aliada ao seu compromisso com a rapidez da produção, testes e lançamento, fazem da ViroCell o parceiro ideal” neste âmbito”, disse Amrolia. Através desta colaboração, a ViroCell fabricará o vetor lentiviral para esta nova terapia com células CAR-T para a LAA recidivante.

A UCL e a ViroCell irão, desta forma, avançar com a produção de vetores lentivirais de alta especificidade com o objetivo de realizar o ensaio clínico de Fase 1 CARPALL coorte 4 da UCL em crianças com LLA recidivante/refratária. Espera-se que o estudo seja iniciado no segundo trimestre de 2024.

Fonte: Biopharma Reporter

Este artigo foi úlil para si?
SimNão
Comments are closed.
Newsletter