“Nenhum pai imagina que o seu filho será diagnosticado com cancro”

A mãe de uma criança de natural de Norwich, no Reino Unido, que foi diagnosticada com um cancro infantil raro falou do orgulho que sente pela coragem do seu filho.

Oscar Warrent, hoje com 2 anos, foi diagnosticado com rabdomiossarcoma em novembro de 2021, depois de uma suposta constipação que os médicos não conseguiram curar. Durante semanas, Oscar foi visto por dezenas de profissionais da Norwich University Hospital, antes de ser encaminhado para o Hospital de Addenbrooke, onde lhe foi encontrada uma massa na bexiga, que lhe estava a obstruir os rins e a uretra.

Desde o início do diagnóstico, a família tem documentado a luta contra o cancro de Oscar no Facebook.

“Temos recebido um apoio extraordinário de todas as pessoas. Elas preocupam-se com o Oscar, querem saber como ele está, quais os próximos passos no tratamento, são incansáveis”, conta Shelley, a mãe do menino.

Atualmente, Oscar está a ser submetido a quimioterapia – “os médicos dizem que serão necessários entre 6 a 8 ciclos de quimioterapia, antes de podermos avançar para a radioterapia. Depois, é esperar que tudo corra bem”.

Os tratamentos fizeram com que Oscar perdesse todo o seu cabelo; em forma de solidariedade, o seu irmão William, de 4 anos, e os seus avós, Stephen e Joanne, também raparam o cabelo.

Oscar foi diagnosticado em novembro de 2021. – Fonte: DR

Shelley recorda o período antes do diagnóstico final, em que Oscar “passava o dia todo chorar”.

“Ainda não sabíamos o que estava a acontecer, mas partia-me o coração ver o meu filho, prostrado no sofá, apático. Ele era uma criança sorridente e feliz. Mas as dores eram tantas que quase que lhe sugaram toda a alegria. Quando ele se levantava, chorava, berrava… era uma frustração enorme”.

“O Oscar é uma criança completamente diferente”.

As obstruções na bexiga causaram uma série de complicações – entre elas, espasmos neste órgão, o que causa dores quase insuportáveis.

“Nenhum pai imagina que o seu filho será diagnosticado com cancro. E quando nos toca a nós, não há propriamente uma ‘fórmula correta’ para lidar”. Aliás, ainda hoje, eu e o meu marido não acreditamos que o nosso filho tem cancro. Ainda não nos ‘caiu a ficha’, como se costuma dizer”.

Para piorar a situação, Shelley também tem lutado contra alguns problemas de saúde, o que obriga o seu marido Ryan a ser o seu principal cuidador. O problema é que, com 4 filhos, isso significa que Shelley e Ryan devem estar separados para garantir que Oscar receba os cuidados e tratamentos de que precisa.

“Parece que está tudo a cair em cima de nós ao mesmo tempo. Eu preciso do apoio e da ajuda do Ryan, mas nós devemos estar separados”, lamenta.

Mas, “o meu principal objetivo é fazer com que o Oscar fique bom. É só isso que me importa”.

Fonte: Evening News

Comments are closed.
Newsletter