“Não podemos permitir que a nossa filha perceba que temos medo do futuro”

Trinity O’Connor tem apenas 4 anos, mas, mesmo assim, esta menina natural de Sidney, na Austrália, já teve de enfrentar grandes desafios: o maior deles foi o cancro infantil.

Em 2018, com apenas 2 anos, Trinity foi diagnosticada com um neuroblastoma em estágio quatro.

Depois de ser sujeita a tratamentos bastante agressivos, a jovem começou a recuperar e, na primavera de 2019, foi considerada como estando em remissão.

Contudo, o pior ainda estava para vir; recentemente, Trinity sofreu uma recidiva.

“Não consigo explicar o que se passa na minha cabeça”, disse o pai, Dan O’Connor, a propósito do impacto que esta notícia teve na família.

“Estou com medo… com muito medo”, desabafa.

A situação é bastante complicada: Trinity tem metástases espalhadas por todo o corpo. Sem qualquer protocolo acionável, os médicos estão “a monitorizar o estado de saúde da minha filha, até que descubram qual o próximo passo”.

Apesar do medo, a família de Trinity está determinada a manter a esperança.

“A Trinity já é mais velha, já está mais atenta ao que se passa à sua volta. É mais complicado fingir que está tudo bem, porque ela percebe. E não podemos permitir que a nossa filha perceba que temos medo do futuro”, conta Dan que, triste, afirma que a sua filha já não sorri como antigamente.

Ainda assim, “pelo menos uma vez por dia conseguimos roubar-lhe um sorriso. E é a melhor sensação do mundo!”

Fonte: WBNG

Este artigo foi úlil para si?
SimNão
Comments are closed.
Newsletter