Nanorobôs atingem tumores com maior precisão

Uma pesquisa realizada em parceria pelas universidades de Montreal e McGil, no Canadá, levou ao desenvolvimento de nanorobôs que mostram capacidade para percorrer a corrente sanguínea e administrar com precisão um fármaco diretamente nas células tumorais.
O uso de nanorobôs permitiria assim evitar danos aos órgãos e tecidos circundantes saudáveis, uma vez que, ao entrarem no tumor, os nanorobôs detetam as áreas tumorais sem oxigénio, conhecidas como zonas hipóxicas – resistentes à maioria das terapias – e administram o fármaco.
O estudo publicado na revista Nature Nanotechnology explica que os nanorobôs foram criados com base no uso de mais de 100 milhões de bactérias flageladas que se movem através do caminho mais direto e cuja força propulsora é suficientemente forte para fazer o nanodispositivo “viajar” de forma eficaz e entrar no interior dos tumores.
 
Sylvain Martel, um dos autores, sublinha que “a quimioterapia, que é tão tóxica para todo o corpo humano, pode utilizar estes nanorobôs naturais para transportar fármacos diretamente para a área alvo, eliminando os efeitos secundários prejudiciais, enquanto aumenta também a eficácia terapêutica”. 
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter