Mutação de gene contribui para progressão de leucemia

Pesquisadores do Centro de Cancro Memorial Sloan-Kettering e da
Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, descobriram de que modo
uma mutação no gene conhecido como TET2 contribui para o
desenvolvimento de algumas leucemias.

Quando uma mutação no TET2 ocorre, o gene melhora a função das células estaminais do sangue na medula óssea, levando-as a renovar-se de forma mais eficiente do que as células-tronco normais de sangue. A alteração observada resulta num maior número de células mutantes do que as células-tronco de sangue normal, uma condição que leva à leucemia.

A descoberta, publicada na revista Cancer Cell, oferece uma visão fundamental sobre a origem do desenvolvimento de diferentes tipos de leucemias.

Os cientistas lembram que agora, depois de ter sido possível provar que a perda da função do gene TET2 “confere uma nova capacidade para essas células-tronco”, será possível investigar se as terapias existentes ou novas terapêuticas podem bloquear o efeito e impedir a formação deste tipo de cancro.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter