Método identifica mutações que potenciam aparecimento do cancro

Um projecto de cancro pediátrico desenvolvido na Universidade de Washington, nos Estados Unidos, criou um novo sistema que permite identificar mutações cromossómicas em tumores, descoberta que promete notáveis resultados na compreensão do cancro.

A ferramenta informática, conhecida como Clipping Reveals Structure (CREST na sigla em inglês) detecta erros genéticos e foi desenvolvida pelo Hospital Pediátrico St. Jude Children e Universidade de Washington. O sistema utiliza um novo algoritmo para ajudar a identificar os rearranjos cromossómicos do ADN dos tumores.

Através deste novo método de cálculo foi possível aos investigadores identificar 89 novas diferenças estruturais no genoma de tumores de cinco doentes que sofriam com um subtipo de leucemia linfoblástica aguda (LLA). O CREST identificou mutações cromossómicas complexas, incluindo uma que envolvia quatro cromossomas, segundo um estudo publicado na revista científica Nature Methods.

O líder da pesquisa destaca o papel fundamental deste novo sistema, lembrando que ferramentas similares podem não identificar “entre 60 a 70% desses rearranjos estruturais em tumores”. O especialista assegura que o CREST dotará os cientistas de meios que permitam encontrar importantes variações estruturais “que desempenham um papel crítico na formação de tumores”.

O projecto foi lançado em 2010 com o objectivo de sequenciar e comparar os genomas (informação genética de cada indivíduo) completos normais e cancerígenos de 600 doentes jovens que sofriam com algumas das formas mais agressivas de leucemia linfoblástica aguda.

Os especialistas esperam agora que, no futuro, seja possível revolucionar a compreensão de tumores pediátricos e estabelecer as bases para novos tratamentos que permitam curar ou prevenir o cancro em crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter