Medula óssea artificial pode ser usada em transplantes

Investigadores dos institutos KIT e Max Planck e das universidades de Estugarda e Tübingen, na Alemanha, desenvolveram uma medula óssea artificial que poderá ser usada para substituir a natural em transplantes. 
A medula óssea artificial apresenta uma estrutura porosa e propriedades fundamentais da medula óssea natural, pelo que tem potencialidade para ser usada na reprodução de células-tronco em laboratório.
A estrutura poderá ser uma grande esperança no tratamento de doenças graves como a leucemia (tipo de tumor que afeta o sangue), visto que poderá garantir, com sucesso, a reprodução de células-tronco hematopoiéticas em laboratório, usadas no combate àquela patologia.
Os resultados alcançados estão ainda numa fase inicial, mas a expetativa é de que a medula óssea artificial, com as suas propriedades que imitam a medula óssea natural, possa ser usada para estudar as interações entre os materiais e as células-tronco de forma aprofundada, para que, num futuro próximo, possa representar uma alternativa à medula de dadores, afirmam os investigadores.
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter