Mário Centeno está mais preocupado com défice do que com crianças do São João, acusa PCP

O PCP acusou o ministro das Finanças, Mário Centeno, de estar mais preocupado com o défice do que com as crianças do Hospital de São João, no Porto. 
A acusação foi feita pelo deputado Jorge Machado, que disse que “o Ministério das Finanças parece estar mais preocupado com o défice e os critérios da União Europeia do que em construir a ala pediátrica e isso para nós é inaceitável”.
Jorge Machado tinha passado o dia de segunda feira, dia 23 de julho, em reuniões com a administração do Hospital de S. João e também com a Administração Regional de Saúde do Norte.
“Não se trata de um problema de despesa, nem de dinheiro. É um problema de autorização de efetuar a despesa”, disse o deputado, a propósito dos sucessivos adiamentos da construção de uma nova ala pediátrica naquela instituição. 
“Comprometer esta obra em função de critérios que só podem ter a ver com o nível do défice do nosso país para fazer boa figura na União Europeia é para nós inaceitável”, reiterou Jorge Machado, que disse ainda que, neste momento, existe uma verba depositada de 19,8 milhões de euros, dos 23,8 milhões necessários para a obra, que só não é desbloqueada porque  Mário Centeno quer “manter o nível do défice abaixo daquilo que são as metas da União Europeia”.
De acordo com o deputado, a demissão do Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, não irá resolver “nenhum problema”, até porque este é um “problema que reside mais no Ministério das Finanças do que no Ministério da Saúde que, pelos vistos, não risca muito em relação a esta matéria.”
“O ministro da Saúde disse há cerca de dois meses que a realização da despesa estava autorizada, mas foi desautorizado. A nós, parece-nos claro que o problema radica da desautorização sucessiva por parte do Ministério das Finanças ao Ministério da Saúde”, adiantou Jorge Machado, que garantiu que o PCP irá “continuar, no âmbito da Assembleia da República, a exigir que o Governo avance com esta obra o mais rapidamente possível”. 
Esta semana, o presidente do Conselho de Administração do Hospital de São João, António Oliveira e Silva, admitiu que está a ponderar demitir-se caso o governo não desbloqueie as verbas para a construção de uma nova ala pediátrica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.