Marcelo Rebelo de Sousa enaltece papel das fundações

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, presidiu à abertura da Sessão Pública Comemorativa do Dia Europeu de Fundações e Doadores que se realizou na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, onde enalteceu o papel das fundações. 
O PR lembrou o papel único das fundações em certos domínios sociais, culturais e cívicos “num país atravessado por crises que atingiram a coesão interna” e sublinha que a crise não atingiu maior proporção graças ao testemunho singular das fundações. 
No seu discurso, o Marcelo Rebelo de Sousa nomeou alguns constrangimentos com que se deparam as fundações, nomeadamente a debilidade da sociedade civil, a inevitável dependência do setor publico e a concorrência complexa do setor privado lucrativo. 
O PR focou ainda três principais constrangimentos particularmente atuais que considera importantes, nomeadamente a incompreensão da opinião pública devido a alguns maus exemplos que criaram uma onda anti-fundacional e a diversidade de tipos e de atribuições que respondem a uma única lei que abrange e regula todo o tipo de fundações que atuam nas mais diversas áreas e sob diferentes formas. 
Marcelo Rebelo de Sousa deixou ainda no ar a ideia de que é inevitável uma aprofundada reflexão para alterar a lei, algo que poderá acontecer num futuro próximo. 
No final do seu discurso, o PR manifestou ainda o seu apoio inequívoco e gratidão a "um sem número de fundações que todos os dias sem alarde, com competência e dedicação, servem Portugal”. 
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter