Maddy, a sobrevivente que quer ajudar outras mulheres

Maddy Ritchie, atualmente com 21 anos, foi diagnosticada com uma forma rara de cancro infantil 4 semanas antes de completar 18 anos.

Durante 12 meses, a jovem passou por tratamentos intensos e agressivos, tendo sido sujeita a quimioterapia e a radioterapia.

“Entrei em modo de sobrevivência, acho que isso acontece com todas as pessoas diagnosticadas com cancro. Eu deixei de sentir o que quer que fosse, estava apenas determinada em superar toda aquela situação”, disse a sobrevivente à revista A Current Affair.

A jovem, e a sua mãe, durante os tratamentos. – Fonte: A Current Affair

Exatamente 1 ano após o diagnóstico, Maddy terminou os tratamentos e foi considerada livre de cancro; mas a verdade é que, depois de uma grande batalha, a rapariga estava destinada a enfrentar outra: a infertilidade.

Com apenas 19 anos, Maddy passou por uma menopausa precoce, um efeito secundário do tratamento com que teve que aprender a lidar.

“Posso dizer que isso foi a coisa mais difícil para mim, saber que nunca poderia ter um filho biológico”.

“Pode parecer estranho, até egoísta, mas já pensei muitas vezes que preferia voltar a ter cancro, se isso me desse a oportunidade de ser mãe. Sei que estas palavras podem chocar, mas é para que se perceba o quanto a questão da infertilidade me afetou”, conta, emocionada.

Mas é na adversidade que surgem os verdadeiros guerreiros, e Maddy não baixou os braços. Determinada, a jovem australiana retomou os estudos, que tinham ficado em suspenso devido aos tratamentos, e ingressou na Universidade de Tecnologia de Sidney para tirar o curso de Enfermagem.

O objetivo? Tornar-se parteira e ajudar outras mulheres a realizarem o sonho que, outrora, foi o seu.

“Ajudar alguém a trazer uma criança ao mundo é o que me motiva atualmente. Sei que não posso ser mãe, mas quero ajudar outras mulheres a serem-no. É isso que todos os dias me faz levantar e foi graças a isso que hoje me sinto curada”.

Mas o cancro infantil continua a ter um papel determinante na vida de Maddy.

Maddy é hoje uma mulher feliz. – Fonte: A Current Affair

Para além do seu empenho em ajudar outras mulheres, a sobrevivente assumiu um outro desafio: ser o rosto de uma campanha para a CanTeen, uma organização de apoio a crianças e famílias afetadas pelo cancro infantil.

Um dos objetivos da CanTeen é criar uma rede de pacientes com a doença, para que estes possam comunicar entre si, de forma a não sentirem que estão sozinhos.

“É algo a que ainda não se dá muita atenção, mas o isolamento é algo que afeta grande parte das crianças com cancro. Eu senti isso na pele e, no que depender de mim, mais nenhuma criança o irá sentir”.

Fonte: 9 News

Comments are closed.
Newsletter