Leucemia mieloide aguda: sangue do cordão umbilical pode ser útil no tratamento

Uma nova investigação mostrou que o sangue do cordão umbilical pode ser uma fonte de células importante na transplantação de doentes pediátricos com leucemia mieloide aguda.

Publicado na revista Blood Advances, o estudo comparou os resultados da transplantação de 317 crianças com a doença que utilizaram células da medula óssea de um irmão compatível, de um dador compatível não familiar ou sangue do cordão umbilical.

A comparação foi feita tendo em conta dois aspetos: a sobrevivência livre de doença e a ausência de doença do enxerto contra o hospedeiro crónica, uma complicação dos transplantes hematopoiéticos que compromete seriamente a qualidade de vida dos doentes no período pós-transplante.

Os investigadores descobriram que as crianças que receberam uma unidade de sangue do cordão umbilical apresentaram melhores resultados, quando comparadas com as crianças tratadas com células da medula óssea de um dador não familiar.

“Quando se trata de LMA de alto risco ou após uma recaída, o transplante hematopoiético com células de um irmão compatível é a abordagem terapêutica mais indicada, no entanto, cerca de 70% dos doentes não dispõem dessa opção”, disse Bruna Moreira, investigadora do departamento de I&D da Crioestaminal.

“Nestes casos, segundo este estudo, o sangue do cordão umbilical pode ser a melhor alternativa de tratamento”, completou.

A leucemia mieloide aguda é mais frequente em adultos, mas também pode ocorrer em crianças, “representando pouco menos de um quarto dos casos de leucemia infantil”, concluiu a investigadora.

Fonte: News Farma

Comments are closed.
Newsletter