Investigadores acreditam que não será possível erradicar cancro

O investigador alemão Thomas Bosch admite que o cancro provavelmente “nunca será completamente erradicado”, argumentando a sua teoria pelo facto de esta ser uma doença “tão antiga quanto a vida multicelular na Terra” e apresentar várias formas de adaptação e sobrevivência.
Num artigo publicado na revista Nature Communications, um grupo de investigadores da Universidade de Kiel e do Instituto Max Planck de Biologia Evolutiva em Plön, na Alemanha, explica que a característica invasiva das células cancerígenas remonta à idade evolutiva e que “os primeiros animais multicelulares já tinham a maior parte dos genes que podem causar cancro em seres humanos”.
Thomas Bosch defende que a pesquisa “reconfirma que os animais primordiais como pólipos Hidra fornecem uma enorme quantidade de informações para nos ajudar a entender problemas tão complexos como o cancro. O nosso estudo também faz com que seja improvável que ‘a guerra contra o cancro' proclamada em 1970 possa ser vencida. No entanto, conhecer as origens do inimigo é a melhor maneira de combatê-lo e ganhar muitas batalhas”.
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter