FDA aprova medicamento para crianças com condição debilitante

Recentemente, as empresas farmacêuticas AstraZeneca e Merck receberam a aprovação do regulador de saúde norte-americano para a criação de um medicamento dirigido a crianças que sofrem de neurofibromatose tipo 1.

O fármaco, denominado Koselugo, é o primeiro a ser aprovado para tratar crianças com esta condição debilitante que apresentam tumores nas bainhas protetoras que circundam os seus nervos.

Esta aprovação junta-se a várias outras concedidas à AstraZeneca, que se tem esforçado para encontrar novas terapias contra o cancro; um desses medicamentos é o Tagrisso, um dos fármacos mais vendidos que recentemente produziu resultados positivos em pacientes cujas células cancerígenas do pulmão sofriam uma mutação genética específica.

A AstraZeneca, sediada no Reino Unido, e a Merck, sediada nos Estados Unidos, também foram parceiras no desenvolvimento do Lynparza, um medicamento que visa cancros com um tipo diferente de anomalia genética.

A AstraZeneca recebeu a distinção de revisão prioritária por meio de um programa norte-americano destinado a incentivar o desenvolvimento de novos tratamentos para doenças infantis raras.

Cerca de metade dos pacientes com neurofibromatose tipo 1 sofre de neurofibromas plexiformes, que podem causar dor, desfiguração e dificuldades de movimento, respiração e digestão, de acordo com a declaração da AstraZeneca.

Fonte: Bloomberg

Comments are closed.