Fazer ensaios clínicos em casa: o novo objetivo da Signify Health e do Children’s Oncology Group

A Signify Health, uma empresa tecnológica norte-americana que tem como objetivo promover o tratamento personalizado de pacientes, deu início a uma parceria com o Children’s Oncology Group para o desenvolvimento de um ensaio clínico domiciliário para pacientes pediátricos com leucemia.

Em conjunto, e com este projeto, as duas instituições acreditam que serão capazes de reduzir as dificuldades de acesso de crianças a ensaios clínicos, para além de conseguirem reunir uma amostra de pacientes mais diversificada.

O Children’s Oncology Group é a maior organização do mundo ao nível da investigação na área da oncologia pediátrica.

Para a investigação, foram recrutados pacientes diagnosticados com leucemia linfoblástica aguda de células B, um dos cancros mais comummente diagnosticados em crianças, representando cerca de 20% de todos os diagnósticos de doença oncológica feitos em crianças com menos de 15 anos.

A leucemia linfoblástica aguda de células B é a principal causa de morte relacionada a doenças em crianças com idades entre 1 e 19 anos; embora seja considerada como “facilmente tratável”, a recidiva acontece em cerca de 15% dos casos, já após a remissão.

Ao realizar o estudo em ambiente domiciliário, “isso vai permitir que tenhamos uma amostra de pacientes mais diversificadas, uma vez que as dificuldades monetárias, que muitas vezes causam constrangimentos ao nível das deslocações, já não serão um fator”, explicam os investigadores.

“Muitas vezes, os tratamentos e os ensaios duram semanas, meses. Os pais têm que procurar alojamento, têm que pedir baixa laboral, alguns são obrigados a despedir-se. É uma série de provações que que cria um stress tanto financeiro quanto emocional, quer nas crianças quer nos seus familiares”.

“Para além disso, ao retirarmos as crianças dos hospitais, deixando-as no seu lar, estamos a dar-lhe alguma normalidade, pois estamos a tirá-las de um ambiente assustador e stressante”.

Nos Estados Unidos, os elevados custos dos tratamentos fazem com que nem todas as famílias tenham acesso a serviços e cuidados de saúde de qualidade – “isso”, explicam os cientistas, “também nos limita ao nível da amostra, uma vez que a maioria das crianças são pacientes caucasianos, de classe média ou alta”.

Com este projeto, os cientistas esperam que conseguir assim “diversificar a base amostragem de pacientes”, dando-lhes uma melhor noção “da forma como o mesmo tratamento afeta diferentes pessoas”.

“E ainda há outra questão: hoje em dia, mais do que nunca, há muitas famílias que não querem levar os seus filhos imunocomprometidos para um ambiente hospitalar, que está cheio de pessoas. Por isso, a realização de ensaios clínicos em casa faz ainda mais sentido”.

Atualmente, o projeto está a ser realizado em 195 casas de todo o país – de forma a garantir que tudo corre da forma mais segura possível, a Signify Health também oferece serviços de suporte clínico domiciliário que podem ajudar a facilitar o tratamento e melhorar a adesão e a experiência dos pacientes e das suas famílias.

As famílias contam com a ajuda de profissionais credenciados, e são seguidas atenciosamente por todos eles.

“Acreditamos que esta parceria nos vai ajudar a descobrir como levar a cabo uma ideia tao inovadora de forma segura e eficaz”.

Fonte: D Magazine

Comments are closed.