Fármacos oncológicos podem faltar em cinco hospitais portugueses

Os medicamentos utilizados no combate ao cancro podem faltar a partir do dia 2 de Dezembro nos hospitais públicos da Guarda, Aveiro, Torres Vedras, Setúbal e Funchal.

A dívida desses hospitais à Roche, cujo pagamento está atrasado há mais de dois anos, pode levar a farmacêutica a cortar o fornecimento de fármacos oncológicos àquelas unidades hospitalares já no início de Dezembro, uma situação que, a confirmar-se, pode deixar milhares de doentes sem tratamento, colocando em risco a sua vida.

Contactado pelo Correio da Manhã, o Ministério da Saúde afirmou que está “atento à situação”, mas garante que, até ao momento, não recebeu qualquer comunicado da Roche que indicasse a suspensão de medicamentos para tratamento do cancro em hospitais do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter