Fármaco que mata células T da leucemia não aumenta risco de infeção

Um novo estudo mostrou que baixas doses do medicamento Campath (alemtuzumab) tratam com eficácia doentes com linfoma cutâneo de células T (L-CTCL) – um tipo de leucemia – sem aumentar o risco de infeções dos pacientes.
O estudo, publicado na revista Science Translational Medicine, concluiu que o Campath elimina as células T que contribuem para o desenvolvimento desta doença, através da corrente sanguínea, mas poupa uma população recém-descoberta de células T que vive nos tecidos e são benéficas. 
Os investigadores verificaram, através de uma pesquisa em humanos, que o Campath trata efetivamente o linfoma em causa, poupando a imunidade normal do organismo, sem impulsionar o desenvolvimento de infeções.
As descobertas desta equipa são também a primeira demonstração de que as células-T que residem nos tecidos do corpo humano oferecem uma proteção imunológica eficaz da pele.
“Estamos muito gratos aos nossos pacientes por confiarem nos nossos cuidados e por nos darem lições importantes sobre o sistema imunológico”, afirmaram os autores da pesquisa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter