Estudo descobre mecanismo que pode ajudar na luta contra os linfomas

Num estudo publicado na revista Cell Reports, uma equipa de cientistas da Alemanha descobriu que o linfoma não Hodgkin provoca alterações nos grandes vasos sanguíneos através dos quais as células imunitárias normalmente migram para os gânglios linfáticos.

Durante a investigação, foram realizadas experiências com ratos e tecido tumoral humano, tendo sido verificado que as células cancerígenas perturbam a arquitetura dos gânglios linfáticos, podendo levar um grupo de grandes vasos sanguíneos, as vénulas endoteliais altas, a perder uma das suas funções.

Sem estes vasos intactos, as células imunitárias não podem migrar para os gânglios linfáticos para localizar as células tumorais e defender o organismo.

Os cientistas investigaram mais a fundo como ocorre a perda de vénulas endoteliais altas, uma situação que permite aos linfomas escaparem ao ataque do sistema imunitário celular.

Os dados apurados mostraram que existe uma complexa cascata de alterações que incluem a perturbação das estruturas nos gânglios linfáticos e que isto acaba por levar a que vénulas endoteliais altas sejam transformadas em vasos sanguíneos normais, cortando assim o acesso das células imunitárias às células cancerígenas.

Estes resultados podem levar ao desenvolvimento de estratégias que permitam às células T chegar ao local do tumor, onde o podem combater de forma direta, destacou Lutz Menzel, líder do estudo.

Fonte: Eurekalert

Comments are closed.