Em estudo, 11,2% de pacientes com cancro infantil testam positivo para SARS-CoV-2

Em pacientes com cancro pediátrico, a morbidade geral da COVID-19 é baixa, de acordo com uma pesquisa publicada na revista JAMA Pediatrics.

O médico Farid Boulad, do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, nos Estados Unidos, e os seus colegas realizaram testes ao novo coronavírus (SARS-CoV-2) entre pacientes com cancro infantil que se apresentaram para atendimento ambulatorial ou hospitalar e que haviam sido expostos à COVID -19 ou que apresentavam sintomas de infeção.

Pacientes assintomáticos e os cuidadores que os acompanhavam também foram testados.

No total, foram realizados 335 testes para SARS-CoV-2 em pacientes pediátricos e aos seus cuidadores entre 10 de março e 12 de abril de 2020.

Os cientistas descobriram que 11,2% dos 178 pacientes pediátricos tiveram resultados positivos nos testes.

A taxa de positividade para SARS-CoV-2 foi de 29,3% entre os pacientes testados especificamente para triagem ou sintomas positivos. Por outro lado, a taxa de positividade foi de apenas 2,5% entre 120 pacientes assintomáticos sem exposição conhecida.

Apenas 3 dos 20 pacientes que apresentaram resultado positivo para SARS-CoV-2 eram do sexo feminino (15% em comparação com 43% que tiveram resultado negativo).

Um paciente com COVID-19 necessitou de hospitalização numa unidade de cuidados não críticos; 3 pacientes foram admitidos por sintomas de febre e neutropenia concomitantes, morbidade por cancro ou quimioterapia planeada.

No geral, 13 dos 74 cuidadores adultos testados deram positivo para SARS-CoV-2.

“Os nossos resultados não apoiam a conjetura de que as crianças são um reservatório de infeção por SARS-CoV-2 não reconhecida”, escreveram os autores.

Fonte: Medical Xpress

Comments are closed.
Newsletter