Doentes oncológicos vão poder escolher hospitais onde querem ser tratados

Os doentes oncológicos tratados no Serviço Nacional de Saúde (SNS) vão poder escolher os hospitais com serviço de oncologia onde querem ser tratados.
A medida consta do relatório da Rede Nacional de Especialidade Hospitalar e de Referenciação de Oncologia Médica, do Ministério da Saúde, que destaca que o local de residência não pode ser uma “condenação” para ser tratado em determinada unidade.
Os especialistas da área referem também que os pacientes vão poder pedir uma segunda opinião para o diagnóstico da patologia.
“O local onde os doentes residem não pode ser uma condenação, mas esse direito dos doentes está condicionado pela capacidade de resposta de cada unidade, sob pena de prejudicar a qualidade do tratamento dos outros doentes, por exemplo, no aumento dos tempos de espera”, afirmou Nuno Miranda, um dos peritos que elaborou a rede de oncologia.
O relatório não refere, no entanto, se os doentes beneficiam de transporte gratuito no caso de optarem por outro hospital. É ainda clarificado que os doentes podem pedir segunda opinião para o diagnóstico.
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter