Leucemia: dieta pode reduzir toxicidade do tratamento

Dietas saudáveis compostas por alimentos ricos em antioxidantes podem reduzir o risco de desenvolver infeções bacterianas ou mucosite durante a primeira fase do tratamento da leucemia linfoblástica aguda em pacientes pediátricos.

A conclusão é de um estudo publicado no Journal of Clinical Oncology e realizado pela Universidade da Columbia, nos Estados Unidos.

Para a investigação, cientistas analisaram dados de pesquisas clínicas e dietéticas de 513 crianças com leucemia linfoblástica aguda que haviam participado num estudo clínico prospetivo.

As associações entre a ingestão alimentar de antioxidantes e toxicidades relacionadas ao tratamento e sobrevida foram avaliadas nas fases de indução e pós-indução da terapia.

Os cientistas descobriram que 23% e 16% dos pacientes sofreram uma infeção bacteriana durante as fases de tratamento de indução ou pós-indução, respetivamente, enquanto 4% e 10%, respetivamente, apresentaram mucosite.

Houve uma associação significativa observada entre o aumento da ingestão de antioxidantes na dieta e menores taxas de infeção e mucosite.

Não foram observadas associações entre antioxidantes alimentares e recidiva ou sobrevida livre de doença. Além disso, os cientistas não observaram associações entre suplementação e toxicidade, recidiva ou sobrevivência.

Segundo os autores, este foi o “primeiro estudo a sugerir que uma dieta de alta qualidade durante o tratamento contra a leucemia linfoblástica aguda pode ser benéfico na redução de toxicidades comuns”.

Fonte: Medical Xpress

Comments are closed.
Newsletter