Descoberta nova terapia que pode ser eficaz no tratamento da leucemia

Uma equipa de cientistas do Hospital Monte Sinai, nos Estados Unidos, acredita ter conseguido desenvolver uma terapia que se mostrou promissora no tratamento da leucemia mieloide aguda.

De acordo com a investigação, publicada na revista Science Translational Medicine, esta terapia de pequenas moléculas foi altamente eficaz no combate a este tipo de leucemia em experiência in vitro e in vivo.

Denominado MS67, este tratamento promoveu a degradação da proteína WDR5, conhecida por impulsionar a proliferação da leucemia mieloide aguda com uma composição genética específica, chamada rearranjo de leucemia de linhagem mista.

Este tipo de leucemia é mais comum em crianças e, dada a sua grande resistência aos tratamentos padrão, tem prognóstico muito reservado.

A proteína WDR5 também desempenha um papel importante na proliferação de outros tipos de cancro, pelo que os cientistas acreditam que é provável que os degradadores de moléculas pequenas desta proteína também possam ser eficazes no tratamento desses mesmos cancros.

“Esta investigação foi a primeira a demonstrar que a degradação farmacológica da proteína WDR5 pode ser uma estratégia terapêutica eficaz e superior à inibição farmacológica (ou bloqueio) da proteína WDR5 no tratamento de cancros dependentes da mesma”, explicou o investigador Jian Jin, do Hospital Mount Sinai.

“Além disso”, continuou, “esta terapia foi o primeiro degradador de moléculas pequenas WDR5 que exibiu uma atividade anti-tumoral robusta em experiências in vivo.”

Em colaboração com a Universidade da Carolina do Norte, os cientistas descobriram que a terapia MS67 suprimiu eficazmente o crescimento deste tipo de células de leucemia mieloide aguda derivadas de pacientes in vitro e in vivo, através de células cancerígenas de pacientes humanos utilizadas em modelos animais.

Durante a investigação, que recorreu a estudos bioquímicos, biofísicos, estruturais, celulares e genómicos, os cientistas demonstraram que a terapia MS67 é um agente terapêutico muito superior do que outras terapias que inibem (ao invés de degradar) a proteína WDR5.

Fonte: Medical Xpress

Comments are closed.
Newsletter