Daycare of Dreams: o infantário feito para crianças com cancro

Do lado de fora, a casa no distrito de Ramat Gan’s Kfar Azar, em Israel, não parece muito diferente dos prédios que a rodeiam, não fosse pelo portão de segurança azul e pelos sinais de aviso bilíngues na entrada que indicam o que há lá dentro.

As personagens coloridas no à entrada acrescentam um toque mais leve a uma decoração mais simples, mas essencial: há tinta antibacteriana em todas as paredes internas; janelas com vidros duplos, com persianas entre os vidros da janela, que evitam que o pó e a sujidade entrem.

Para além disso, há também um sistema de ar-condicionado personalizado que mantém a pressão do ar, bem como o fluxo de ar para fora do edifício, protocolos estritamente higiénicos para todos aqueles entram e proteção contra o sol em áreas externas.

Crianças a brincarem no infantário. – DR

Assim é o Daycare of Dreams (ou “Infantário dos Sonhos”), um jardim de infância construído especificamente para crianças com cancro, considerado o “primeiro centro educacional e de recuperação estéril do mundo”.

Ayelet Rafalin, diretora do Daycare of Dreams, explicou que esta instalação de 400 metros quadrados foi projetada para se assemelhar a uma ala de isolamento hospitalar, mas sem a sensação de hospital.

“As crianças que vêm para cá estão doentes, mas têm permissão médica para frequentar este lugar, para além de poderem estar juntas com outras crianças que também têm os seus sistemas imunes comprometidos; apesar de, por vezes, isso ser altamente perigoso”, disse.

Na verdade, este jardim de infância já esteve fechado cerca de 28 dias depois de uma criança ter sido acidentalmente exposta a varicela.

“Nós não arriscamos nem facilitamos”, afirma Ayelet.

“Foi tudo limpo por profissionais, e as crianças foram encaminhadas logo para o hospital, para ver se estava tudo bem”.

O Daycare of Dreams é o principal projeto da Larger Than Life, uma organização sem fins lucrativos, criada em 2000, que pretende ajudar crianças israelitas a recuperarem do cancro, independentemente da sua religião, etnia, género ou condição socioeconómica.

Desde então, a organização ajudou mais de 15 mil crianças, e as suas famílias, a suportar as dificuldades da doença.

Uma das várias atividades do Daycare of Dreams. – DR

No momento, 35 meninos e meninas, dos 6 meses aos 7 anos, frequentam este infantário.

A maioria dessas crianças tem linfomas de vários tipos, mas também existem crianças com leucemia e com tumores cerebrais. Uma das meninas sofre de um cancro uterino, e outra criança de glioma pontino intrínseco difuso.

“Às vezes os pais sabem que não há cura; neste momento temos 5 crianças nessas condições. Mas mesmo assim tentamos que este seja um espaço onde só existe alegria”, disse a diretora.

“Tentamos dar a estas crianças uma sensação de normalidade. Aqui elas podem estudar, aprender a ler e a escrever, conviver com outras crianças. Se estiverem cansados, podem dormir tranquilamente.”

O infantário é composto por uma equipa de 22 membros, todos com formação.

“Antes de virem para cá, muitas destas crianças estavam sozinhas e conviviam apenas com os seus pais. Não tinham amigos da mesma idade”, disse a diretora, que observou que muitos destes meninos e meninas ficam envergonhados pelo facto de estarem carecas.

Além de todas as questões arquitetónicas, este espaço também garante que quem o visita use máscara. Os funcionários lavam constantemente as mãos e, todas as noites, uma equipa de limpeza lava todas as mesas, cadeiras, brinquedos e qualquer outra coisa com que as crianças possam ter tido contato – tudo para reduzir ainda mais o risco de contaminação.

“Quando uma criança sai daqui, está bem o suficiente para ser integrada num sistema escolar normativo e para a sua faixa etária. Eles não ficarão para trás num sentido social ou educacional”, disse Ayelet, que observou que as crianças com cancro geralmente perdem entre 2 a 3 anos de escolaridade devido à doença e aos tratamentos.

Lior Shmueli, CEO da Larger Than Life, diz que, anualmente, o jardim de infância ajuda cerca de 50 crianças durante a recuperação da doença.

DR

Dependendo do tipo de cancro, as taxas de sobrevivência atingem os 80%; por exemplo, cerca de 90% das crianças com leucemia recuperam totalmente.

“As estatísticas em Israel são as mesmas que no mundo ocidental”, disse Shmueli. “Hoje, as crianças israelitas recebem os mesmos protocolos médicos de uma criança na Europa ou nos Estados Unidos”.

Fonte: Times of Israel

Comments are closed.
Newsletter