Cientistas vão testar novo tratamento mais eficaz contra o osteossarcoma

Investigadores e médicos do Children’s Hospital of Philadelphia, nos Estados Unidos, vão testar um novo tratamento para o osteossarcoma, com o objetivo de desenvolver uma terapia mais eficaz contra este tipo de tumor pediátrico.

O teste do novo tratamento irá avançar graças a um investimento de 1,5 milhões de dólares realizado pela St. Baldrick’s Foundation e vários outros financiadores, no âmbito do The Fight Osteosarcoma Together (FOT) Super Grant. Este financiamento visa impulsionar a investigação na área do osteossarcoma.

Há várias décadas, o principal tratamento para o osteossarcoma pediátrico não se alterou de forma substancial. Pacientes com este tipo de cancro ósseo agressivo, diagnosticado com mais frequência em adolescentes, necessitam de novas opções terapêuticas, afirmam os investigadores.

Segundo explicaram, menos de 30% dos pacientes sobrevivem quando o osteossarcoma está metastizado no momento do diagnóstico.

O Dr. Patrick Groha, do Children’s Hospital of Philadelphia, irá liderar a investigação para testar um novo tratamento contra este tipo de tumor. O objetivo é “desenvolver um ensaio clínico para testar um novo tratamento dentro de três anos”, afirma.

“O nosso grupo está honrado por ter recebido este prémio. Dediquei a minha vida ao cuidado de pacientes com tumores ósseos. Ainda estamos a usar o mesmo esquema de quimioterapia de décadas atrás para tratar pacientes com osteossarcoma”, disse Groha, sublinhando a importância do desenvolvimento de novas terapias mais eficazes.

O objetivo do Dr. Grohar é descobrir terapias direcionadas para o osteossarcoma. Um dos maiores desafios no tratamento do osteossarcoma é a presença de diferentes mutações genéticas individuais que impulsionam o crescimento do tumor nos pacientes.

No entanto, uma percentagem significativa (12-39%) desses tumores partilha uma alteração genética comum conhecida como amplificação num gene chamado MYC, que tem sido associado a tumores agressivos e mau prognóstico.

Para estudar esse subconjunto específico de osteossarcoma, o Dr. Grohar e os seus colegas investigarão o papel do gene MYC no desenvolvimento e na natureza agressiva da doença.

O Dr. Grohar planeia encontrar substâncias terapêuticas que não sejam apenas direcionadas ao osteossarcoma amplificado por MYC, mas também sejam opções de tratamento eficazes no geral para este tipo de tumor.

A equipa explorará várias abordagens, como a utilização desses compostos isoladamente, em combinação com a quimioterapia, ou visando especificamente a prevenção de metástases.

Ao investigar esse subgrupo distinto de osteossarcoma e colaborar com outros cientistas, o Dr. Grohar espera descobrir novas formas de tratar este tumor amplificado por MYC e proporcionar aos pacientes um melhor resultado.

Fonte: PRNewsWire

Este artigo foi úlil para si?
SimNão
Comments are closed.
Newsletter