Cientistas nos EUA descobrem mecanismo fundamental na formação das metástases

Um grupo de pesquisadores norte-americanos do Colégio de Medicina Albert Einstein da Universidade de Yeshiva identificou uma via de sinalização presente nas células cancerígenas, que controla a capacidade do tumor de invadir outros tecidos. 
Os cientistas chegaram à conclusão de que para formarem metástases e invadirem outros órgãos, as células tumorais rompem o tecido conjuntivo circundante, conhecido como matriz extracelular (ECM), recorrendo a um mecanismo designado por invadopodia, que promove a formação de saliências. As enzimas libertadas durante este processo degradam a matriz enquanto as saliências puxam a célula cancerígena para fora.
Louis Hodgson, que liderou o estudo, explica que pesquisas anteriores já tinham sugerido que a proteína Rac1 desempenhava um papel importante na formação das metástases, no sentido em que, quando os níveis de Rac1 eram elevados, o tumor apresentava características mais invasivas. 
Recorrendo a um biosensor fluorescente, os cientistas descobriram neste novo estudo que os níveis de Rac1 na invadopodia aumentam “em intervalos cronometrados, a fim de maximizar a capacidade invasiva das células”.
Os resultados descritos na revista Nature Cell Biology podem contribuir para desenvolver fármacos com capacidade para ativar ou inibir localmente a Rac1, especificamente nas células cancerígenas, pois a Rac1 desempenha um papel fundamental também nas células saudáveis.
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter