“Células-fantasma” promovem elevada resistência à quimioterapia

Um estudo internacional descobriu a existência de células que ajudam a promover a resistência dos tumores aos tratamentos oncológicos, as quais foram apelidadas de “células-fantasma”.
Dois cientistas da Universidade Autónoma de Barcelona, em Espanha, e do Hospital Mount Sinai, de Nova Iorque, nos Estados Unidos, concluíram, ao fim de seis anos de pesquisa, que estas “células-fantasma” são dotadas de uma “resistência inata extraordinária, altamente rica em sistemas de desintoxicação e transporte”.
Carlos Cordón Cardo, um dos investigadores, adianta que esta capacidade extraordinária inerente a estas células, que se encontram em todos os tumores cancerígenos primários e nas suas metástases, permite ao tumor eliminar facilmente os compostos usados nos tratamentos de quimioterapia.
Num artigo publicado na revista Cancer Cell, os cientistas sublinham que a sua resistência à quimioterapia pode ser explicada pelo facto de estas células não serem eliminadas em tratamentos anteriores de cirurgia ou radioterapia.
Este artigo foi úlil para si?
SimNão

Deixe um comentário

Newsletter