Arménia torna-se o primeiro país a aderir à St. Jude Global Alliance

Na passada sexta feira, dia 12 de abril, a primeira-dama da Arménia assinou um memorando que formalizou um entendimento entre o país e a antiga nação soviética e o St. Jude Children’s Research Hospital.

Desta forma, a Arménia tornou-se o primeiro país a aderir à St. Jude Global Alliance, um esforço multimilionário lançado no ano passado para melhorar o tratamento de crianças com cancro em países em desenvolvimento em 30% na próxima década.

Há 1 ano atrás, neste mesmo mês, Anna Hakobyan liderou uma revolução política com o seu marido Nikol Pashinyan, que levou à eleição deste como primeiro-ministro do país.

“Tudo começou depois da revolução”, disse Anna Hakobyan, antiga jornalista e editora-chefe da revista Armenian Times.

“Eu não estava envolvida em questões médicas, e e sim na política”, disse a atual primeira-dama.

“Depois da revolução, tivemos uma grande crise no nosso país, nomeadamente ao nível da oncologia pediátrica, pois muitas das organizações que aqui trabalhavam foram-se embora. Daí ter-me interessado tanto por este tema”, continuou.

Logo após a eleição do seu marido, Anna Hakobyan fundou a City of Smile, uma fundação que apoia o desenvolvimento da oncologia e hematologia pediátrica na Arménia.

Semelhante a ALSAC, a organização de captação de recursos e consciencialização do St. Jude Children’s Research Hospital, a City of Smile cobre totalmente o custo do atendimento de pacientes pediátricos com cancro e suas famílias.

Até o momento, a City of Smile arrecadou fundos suficientes para apoiar integralmente o atendimento de 120 crianças.

“O cancro infantil é muito caro, daí que o apoio de fundações e organizações seja essencial”, disse o Gevorg Tamamyan, hematologista e oncologista pediátrico do Centro Pediátrico de Cancro e Doenças do Sangue da Arménia.

“Estas fundações estão a tentar ajudar as crianças a receber o atendimento e tratamentos adequados, independentemente da sua capacidade financeira. Assim, consegue-se garantir que cada criança recebe os cuidados adequados e que ninguém fica de fora por não ter os recursos necessários”.

Como país em desenvolvimento, a Arménia tem recursos limitados para tratar o cancro pediátrico.

“Quando se trabalha num ambiente com recursos limitados, existem muitos desafios que têm de ser superados, como a falta de fármacos, de pessoal, a capacidade diminuta de pesquisa, a falta de consciência e assim por diante”, explicou o médico.

Ao unir-se à St. Jude Global Alliance, a Arménia irá trabalhar em conjunto com outros países, que se dedicarão a resolver os desafios do tratamento da oncologia pediátrica e disponibilizar tratamento e diagnóstico a todas as crianças, independentemente da nacionalidade ou localização geográfica.

“É uma maneira de desenvolver a nossa capacidade, de melhorar os nossos resultados, de aprender e de tornar as crianças mais saudáveis”, afirmou Gevorg Tamamyan.

Fonte: Daily Memphian

Comments are closed.
Newsletter

Últimas Newsletters
Ir para Arquivo