Anna: a sobrevivente que quer ser enfermeira

Após uma dura batalha contra um cancro infantil, Anna Martin decidiu que queria tornar-se enfermeira.

A jovem norte-americana tinha 10 anos quando iniciou tratamentos contra uma leucemia e hoje, em remissão, acredita que o apoio que recebeu de médicos e enfermeiros foi fundamental para a sua recuperação.

“Eles tratavam-me como se eu fosse filha deles. Ainda hoje comunicamos regularmente, foi um laço emocional muito grande”, conta a jovem.

Anna também se recorda das partidas que pregava aos seus médicos preferidos.

“Sempre que eles entravam no meu quarto, eu borrifava-os com água. Pedia às enfermeiras seringas, enchia-as com água e depois era só esperar que os meus médicos entrassem no quarto”.

“Como eles já sabiam o que lhes ia acontecer, começaram a entrar no meu quarto de guarda chuva”, relembra, divertida, a sobrevivente.

Depois de ter sido diagnosticada com leucemia e de ser submetida a tratamentos no East Tennessee Children’s Hospital e no Vanderbilt University Medical Center ambos nos Estados Unidos, Anna entrou em remissão.

Mas, aos 16 anos, o cancro voltou a pregar-lhe um susto: a rapariga foi diagnosticada com um cancro da tiroide e sujeita a sessões de radioterapia.

Anna é agora uma jovem livre de cancro, que se pretende formar em enfermagem na Belmont University.

Anna é hoje uma jovem saudável. – Fonte: DR

“No tempo em que estive internada, eu devia estar na escola, a fazer amigos, palhaçadas, a ser criança… Mas tinha de estar fechada num hospital. E as enfermeiras que cuidaram de mim fizeram de tudo para eu ser, ou sentir-me, uma criança normal”.

“Naquela altura, elas significavam o mundo para mim e para a minha família. E é por isso que eu quero ser enfermeira. Quero homenagear todas aquelas pessoas que cuidaram de mim”, disse Anna.

Eu estava na quinta série e deveria estar em uma sala de aula”, disse Martin. “Eles chegaram aonde eu ainda podia ser criança.”

Mas há outra pessoa que Anna não esquece: o seu dador de medula.

“Sem ele, eu não estaria aqui!”

A luta contra o cancro também inspirou a jovem a dar início a um programa de auxilio para famílias cujos filhos estão em tratamento; até agora, Anna angariou mais de 16 mil dólares (cerca de 14 mil euros); para além disso, Anna é voluntária no hospital onde foi tratada, duas vezes por semana.

“Nem acredito que vou para a Universidade. É incrível pensar que tenho um futuro. Há 10 anos era tudo tão incerto!”, diz, emocionada.

Fonte: Knox News

Comments are closed.
Newsletter

Últimas Newsletters
Ir para Arquivo