Angus, o labrador que leva alegria a crianças com cancro internadas num hospital do Brasil

Todas as quintas feiras, o Hospital Santa Izabel, no Brasil, recebe a visita de um paciente muito especial: Angus, um labrador preto que quer tornar a dolorosa e triste rotina de pacientes com cancro em algo mais leve e alegre.
A visita deste simpático animal de 4 patas faz parte de um projeto, intitulado “Cão Amigo”, que foi implementado em abril de 2018. Esta ação pioneira contou com o apoio da Provedoria da Santa Casa da Bahia e da Direção do hospital.
“Ainda há alguma resistência e preconceito quanto à ideia de que os animais de estimação podem ajudar no tratamento do cancro, mas as experiências mostram que a terapia assistida com animais auxilia na recuperação dos pacientes, minimizando os fatores de stress que a doença traz”, explicou Bruno Tavares, oncopediatra do Hospital Santa Izabel.
Uma das crianças que mais delira com a visita de Angus é a pequena Ysabella Duarte, uma menina com 4 anos que há 11 meses luta contra uma leucemia.
“A Ysabella já fez radioterapia e agora está no período de manutenção, a cada 15 dias, com a quimioterapia. Depois das visitas deste cão, tudo mudou. Ela fica muito mais tranquila durante os tratamentos porque sabe que, pelo menos uma vez por semana, o vai ver. Ela costuma chamá-lo de ‘meu amigo’”, disse a mãe da menina.
“O diagnóstico de cancro na vida de uma criança acaba por alterar muito a rotina de toda a família, porque ela é retirada do seu convívio habitual e colocada num ambiente hostil e assustador, que é o ambiente hospitalar. O programa ‘Cão Amigo’ ajuda o paciente a enfrentar o diagnóstico de uma doença grave, por causa do ambiente familiar que é criado. E, ao lidar melhor com o tratamento, os pacientes acabam por se aproximar mais da equipa médica”, relembrou Bruno Tavares.
Contudo, é importante dizer que não é qualquer paciente que pode receber a visita de Angus. A equipa médica seleciona os pacientes que o podem receber dependendo da fase de tratamento em que os pacientes se encontram. Primeiro, analisa-se risco de infeções, entre outras taxas, pois tem de haver uma grande preocupação com a imunidade do paciente.
E mesmo o pequeno Angus tem que ter muitos cuidados antes de ter contato com os pacientes, incluindo um certificado de vacinas.
“Construímos este projeto com o serviço de controlo de infeção hospitalar, fazendo tudo que fosse necessário em prol da saúde dos pacientes e da segurança do cão”, disse Tatiane Seixas, psicóloga do Grupo GNAP, parceiro do Hospital Santa Izabel neste projeto, cuja motivação foram “os pedidos de alguns pacientes para que deixássemos que os seus animais de estimação os visitassem no hospital”.
Comments are closed.