Administração do Hospital de São João apresenta demissão

De acordo com uma notícia avançada pela RTP, entretanto já confirmada pela tutela, a Administração do Hospital de São João, no Porto, apresentou um pedido de demissão ao Ministério da Saúde.

Segundo a RTP, a falta de recursos humanos e técnicos, a degradação das condições de trabalho e o desagrado pelas cativações de verbas decididas pelo Ministério das Finanças foram os motivos para esta tomada de decisão.

Numa declaração enviada à comunicação social lê-se que “o mandato do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de São João terminou a 31 de dezembro de 2018. Em consequência o Conselho de Administração apresentou a renúncia de modo a facilitar a sua substituição da forma mais rápida possível”.

A RTP refere ainda que “o modo como o Ministério da Saúde tem lidado com as consecutivas greves que deixaram reféns os hospitais do Serviço Nacional de Saúde” também motivou a decisão.

Em comunicado, o Ministério da Saúde confirmou que recebeu o pedido de renúncia do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de São João, e reconheceu “o empenho do presidente em criar condições para a transferência dos doentes pediátricos para as instalações do hospital”.

Associação de Pais de crianças internadas já reagiu

“Um administrador que é pago para defender o Hospital de São João, quando vê que a tutela não lhe dá as condições para fazer aquilo que ele se propôs no princípio do mandato, só tem uma solução que é demitir-se”, disse à Rádio Renascença Jorge Pires, o porta-voz dos pais das crianças internadas na ala de Oncologia Pediátrica do São João.

Segundo a Associação Pediátrica Oncológica, este pedido de demissão só peca por ser tardia, tendo em conta que no entender da Associação a administração não tinha “competências suficientes para gerir o hospital”.

Fonte: Expresso e Rádio Renascença

Comments are closed.
Newsletter

Últimas Newsletters
Ir para Arquivo