A história de um menino que lutou contra dois cancros

Em 24 horas, no dia 12 de fevereiro, Gage Sauder completou 11 anos, perdeu um dente, fez uma cirurgia e foi sujeito a quimioterapia.

Durante a sua permanência de um mês no Methodist Children’s Hospital, nos Estados Unidos, o rapaz recebeu altas doses de quimioterapia a cada 12 horas, durante 6 dias, recebeu um transplante de células estaminais e enfrentou a parte mais difícil – semanas de recuperação para combater os brutais efeitos secundários do tratamento.

Gage com 10 anos, antes de lhe ser diagnosticado o primeiro cancro – Fonte: DR

Nenhum pai quer ouvir as temidas palavras cancro infantil; mas ouvi-las duas vezes num período de 1 ano sobre a mesma criança é algo inexplicável. Mas foi isso que os pais de Gage tiveram de ouvir, porque com 11 anos o jovem já lutou contra o cancro duas vezes.

“Há tanta coisa boa neste mundo”, disse Jamie Hillier Sauder, a mãe de Gage.

“Durante esta jornada, estivemos sempre acampanhados. Quando pensávamos que não vinha mais ninguém visitar o Gage, de repente, aparecia mais uma pessoa que fazia toda a diferença”, conta a senhora, que afirma que foi a bondade de todos os familiares, amigos e conhecidos que fez a família Sauder seguir em frente.

Gage foi diagnosticado pela primeira vez em janeiro de 2018, com um linfoma de Hodgkin; depois de meses de tratamento, o menino foi considerado curado em julho mas, sem que nada o fizesse prever, em outubro, o cancro recidivou.

Mais uma vez, Gage teve de abandonar a escola e recomeçar os seus tratamentos de quimioterapia.

A mãe Jamie é perentória ao dizer que, durante todo este processo, o seu filho manteve-se igual: gentil, corajoso, criativo, divertido, vibrante e feliz.

Apesar da dificuldade dos tratamentos, o mais difícil para Gage foi ter de deixar de ir à escola.

“Ele é super social e tem dezenas de amigos na escola. Deixá-los foi o mais complicado”, revela.

E foi em homenagem a Gage que a sua escola, a Vineyard Ranch Elementary, organizou um evento de angariação de fundos, patrocinado pela Sociedade Americana de Leucemia e Linfomas, chamado “Pennies for Patients” (“Moedas para os Pacientes”, em português).

A família Sauder – Fonte: DR

Para promover a iniciativa, foi usado um cartaz com a foto de Gage onde se podia ler: “Esta é a cara de um herói que lutou duas vezes contra um cancro. O Gage é um exemplo de força e de resiliência e mostra a todas as pessoas que nunca se desistir. Se o Gage venceu o cancro duas vezes tu também o podes vencer”.

O dinheiro recolhido pela “Pennies for Patients” não vai diretamente para Gage, mas sim para pesquisas sobre o cancro infantil e para programas de apoio que ajudam pacientes e familiares.

“A parte da recuperação é a mais difícil porque ele não entende porque não pode voltar para casa, mesmo já tendo terminado a quimioterapia”, conta a mãe de Gage.

“Ele pergunta porque é que ainda está aqui, e eu respondi-lhe da melhor maneira que podia. Disse-lhe ‘tu estás aqui porque a quimioterapia deixou o teu corpo muito fraco e precisas de recuperar’”.

Essa recuperação teve o seu fim no passado dia 7 de março, quando Gage recebeu alta e pôde, enfim, voltar a casa.

Gage nunca desistiu de lutar – Fonte: DR

Ainda assim, o menino terá de regressar ao hospital a cada 21 dias para ser sujeito a uma terapia imunológica.

“Quando soubemos que o cancro do Gage tinha recidivado, agarrámo-nos a todas as forças, poucas, que ainda tínhamos. O meu marido disse que éramos capazes de voltar a ultrapassar este sofrimento. E fomos. O Gage está curado, e nada mais importa”, conta, emocionada, Jamie.

Fonte: Pleasant on Express

Comments are closed.
Newsletter